Confira mais sobre o XV!

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

O dia em que o Santos de Pelé sucumbiu ao XV de Ditinho: "A quebra do Tabu"

 XV de Piracicaba e Santos sempre realizaram grandes partidas. No entanto, uma delas ficou especialmente marcada para a nação quinzista. O XV de Piracicaba não vencia o Santos desde 11 de maio de 1952, quando a equipe comandada por Santo Cristo, que marcou 2 gols na partida, venceu a equipe da baixada pelo placar de 3 x 0, em partida amistosa realizada no Estádio Roberto Gomes Pedrosa.

Após 20 anos da última vitória, o Nhô-Quim conseguiu derrubar o Santos no Estádio Barão da Serra Negra, derrubando então o famoso tabu entre as equipes. A partida tão lembrada pela torcida do XV foi realizada em dia 28 de agosto do ano de 1972, e ficou marcada como um dos maiores jogos da época para o XV de Piracaba.

FOTO: Rocha Netto recebe Pelé antes da partida em que caiu o tabu de 23 anos entre as equipes.
 
O JOGO - A tão lembrada partida ocorreu sob o olhar de um bom público presente no Estádio Barão da Serra Negra, que gerou a boa renda de Cr$ 47.133,00. O XV não realizava boa campanha naquele ano e vinha de incríveis 23 jogos sem somar uma vitória no Campeonato Paulista. Surpreendendo todas as perspectivas da época, o XV de Piracicaba saiu de campo com sua primeira vitória no campeonato, justamente contra o todo poderoso Santos de Pelé.

A grande jogada da partida ocorreu aos 37 minutos, quando Pitanga arriscou um chute, que bateu no zagueiro Paulo e sobrou para Ditinho, que dentro da área bateu, sem chances para o goleiro Cejas.  O Santos ainda buscou o empate, mas Pelé e companhia não foram suficientes para furar a defesa formada por Volmir, Jurandir, Macalé e Arlindo.
 
FOTO: Ditinho, o grande herói do XV na partida que derrubou o longo tabu contra o Santos.

FICHA DO JOGO
XV DE PIRACICABA 1 x 0 SANTOS
Data: 27 de agosto de 1972
Local: Estádio Barão da Serra Negra, em Piracicaba.
Árbitro: José Olimpo Clemente de Oliveira.
Renda: Cr$ 47.133,00

XV DE PIRACICABA
Roque; Volmir, Jurandir, Macalé e Arlindo; Ademir Gonçalves e Naves; Ditinho, Pitanga, Cassiano (Carlos Frank) e Du. Técnico: Mané.

SANTOS
Cejas; Orlando, Paulo, Altivo e Zé Carlos; Clodoaldo (Léo) e Nenê; Roberto Carlos, Alcino (Ferreira), Pelé e Edu.

INFORMAÇÕES E FOTOS: "A HISTÓRIA DO XV - PARTE II", de Delphim F. Rocha Netto.


2 comentários:

  1. Eita Ditinho uma personagem marcante do Quinzão... Já escrevi uma crônica sobre alguns fatos que papai me contava sobre o Ditinho.. Ditinho não pode ser esquecido. Valeu!CaipiracicabANA marly de Oliveira Jacobino

    ResponderExcluir
  2. eu vi esse jogo , eu tinha 13 anos e estava dentro do campo , ao lado dos reservas do santos . ditinho jogou bem esse dia , vibrei com o gol do xv .a torcida vaiou pelè e ele chutou a bola de bico na torcida que estava na cativa , nas cadeirinhas cor de abóbora ., saì de là feliz , pois vi pelé de perto e ganhei de uma faixa e vi o xv vencer pela primeira vez o santos com pelè . o santos tinha um loirinho , ponta direita chamado roberto carlos e o goleiro do santos cejas , jogou de boina branca , por causa do sol , ele é argentino .

    ResponderExcluir