Confira mais sobre o XV!

terça-feira, 16 de julho de 2013

Personagens da História - Especial Centenário - Capitão

Prosseguindo com a série especial de entrevistas "Personagens da História - Especial Centenário", o Blog História do XV conversou com o ex-jogador Capitão.
 
Rodolfo Carlos de Lima, o Capitão, nasceu no dia 4 de fevereiro de 1954, na cidade Regente Feijó, pequeno município situado no interior de São Paulo. Capitão começou sua carreira nas categorias de base do Corinthians de Presidente Prudente no ano de 1970. Após optar pelo curso de Educação Física, Rodolfo decidiu seguir a carreira de jogador de futebol profissional.
 
Capitão relembrou os momentos em que viveu vestindo a camisa zebrada do XV de Piracicaba.
 
 
BLOG HISTÓRIAS DO XV: Capitão, como você chegou ao XV?
 
CAPITÃO: Cheguei em Piracicaba em 1974, com 19 para 20 anos, recém formado em Educação em educação física, acabei optando pela carreira de atleta profissional. Sai de minha casa e enfrentei numerosos problemas, pois nessa época, o XV não possuía uma estrutura de alojamento, de alimentação e nem de repouso.
Quando cheguei a Piracicaba, morei na antiga sede do XV na rua Regente Feijó (antigo campo) sem nenhuma condição.
 
BLOG HISTÓRIAS DO XV: Como foi seu início no XV?
 
CAPITÃO: Apesar das dificuldades, o Presidente Rípoli montou uma equipe muito competitiva, com jogadores jovens vindos dos clubes da segunda divisão, juntamente com alguns jogadores experientes. No primeiro ano (1975), acabamos em 8º lugar no Campeonato Paulista e logo depois fomos vice-campeões do Torneio José Ermírio de Moraes, que hoje é equivalente à Copa Paulista.
 
Nota do BLOG: O Torneio Jose Hermírio de Moraes Filho, pode ser considerado equivalente à Copa Paulista de Futebol, disputada atualmente pela extensa maioria das equipes do interior de São Paulo. Naquele ano, o XV superou equipes como Ponte Preta, Comercial, Botafogo, Ferroviária, América e Portuguesa. O alvinegro Piracicabano conseguiu o título no dia 07 de setembro de 1975, após vencer a equipe do América, na cidade de Rio Preto, pelo placar de 2 x 0, com gols de Capitão e Paulinho.
 
FOTO: Equipe campeã do Torneio José Ermírio de Moraes Filho.
De pé: Volmil, Valdir, Getúlio, Nenê, Elói, Muri, Almeida e Fernando.
Agachados: Paulinho, Nardela, Joãozinho, Capitão, Pitanga, Benê, Valdemar e João Paulo.
 
CAPITÃO: Já no meu segundo ano de XV (1976), conseguimos chegar ao vice-campeonato Paulista. Esse título demonstra a importância do XV na minha carreira. A partir daí saí para o Santos, depois fui para o Vasco e logo na sequencia fui vendido ao Guarani, onde fui Campeão Brasileiro em 1978. Após o título nacional minha carreira já estava concretizada e fortalecida. Parti para jogar em outros grandes clubes e acabei minha carreira na cidade de Campinas, passando a trabalhar nas categorias de base do Guarani.

FOTO: Time vice-campeão Paulista de 1976 pelo XV de Piracicaba, em amistoso comemorativo contra o Santos.
Em pé: Fernando, Capitão, Almeida, Pizeli, Muri, Elói, Volmir, Doná e Getúlio;
Agachados: Paulinho, Delém, Nardela, Zé Ito, Vagner, Ademir Carloini, João Paulo e Pitanga.
 
BLOG HISTÓRIAS DO XV: Qual é a importância do XV na sua carreira?
 
CAPITÃO: Minha passagem pelo XV também foi muito importante, pois, no dia a dia, aprendi, com os atletas mais experientes, a entender melhor o futebol. Destaco jogadores como Getúlio, Fernando, Muri, Bene, Madureira, Wernek, Pitanga e também com treinadores como Nestor Alves, Norberto Lopes e especialmente com o Sr. Dema.
 
FOTO: Almeida, Pitanga e Capitão, após o vice-campeonato de 1976. Almeida e Capitão aparecem vestindo a camisa do Santos, já que foram emprestados para disputa do Campeonato Brasileiro.

BLOG HISTÓRIAS DO XV: Qual é a partida que você considera mais importante durante sua passagem pelo XV?
 
CAPITÃO: Um jogo importante, embora não tenha ocorrido no Campeonato Paulista, mas sim pelo Torneio José Ermírio de Moraes Neto de 1975, foi a jogo do título contra o América de Rio Preto. Me lembro dessa partida porque marquei o segundo gol da vitória do XV, na casa do adversário, sendo que com essa vitória o XV foi campeão sem a necessidade de uma final, já que venceu os dois turnos.

FOTO: Partida entre XV de Piracicaba e América, que deu o título do Torneio José Ermírio de Moraes Neto.
Em pé: Getúlio, Nenê, Fernando, Almeida, Muri, Elói e Pavanelli;
Agachados: Capitão, Pitanga, Benê, Nardela e João Paulo.
 
BLOG HISTÓRIAS DO XV: Gostaria de deixar um recado para a torcida do XV?
 
CAPITÃO: O recado que passe para a torcida do XV, é que ela curta esse grande momento do seu time, pois estamos ano a ano, vários clubes tradicionais praticamente desaparecendo ou afundando em dívidas, com futuro incerto no futebol.
Salve grande XV DE NOVEMBRO DE PIRACICABA, que fez parte da minha vida, devo gratidão a esse clube que me proporcionou a realização de meus sonhos como atleta profissional de futebol.
Parabéns XV de Piracicaba pelo seu centenário.
 
Após encerrar a carreira, Capitão trabalhou na base do Guarani e hoje trabalha como auxiliar técnico do treinador Artur Neto. Trabalhou em diversos clubes a partir de 2002, como Figueirense, América de Natal, ABC de Natal, Remo, Paysandu, Atlético Goianiense, Vila Nova (GO), Botafogo de Ribeirão Preto, entre outros. Atualmente, reside na cidade de Ribeirão Preto, com sua esposa e com os filhos Rodolfo Jr. e Rafael, aguardando novas oportunidades de trabalho.
 
CLUBES EM QUE ATUOU
E.C. Corinthians de Presidente Prudente (1970/74); E.C. XV de Novembro de Piracicaba (1974/78); Santos Futebol Clube (1976 - empréstimo); Vasco da Gama (1977 - empréstimo); Guarani Futebol Clube (1978-82); Coritiba (1981 - empréstimo); Clube Atlético Paranaense (1982-1985); Sociedade Esportiva Palmeiras (1983); Pinheiros Futebol Clube/PR (1985); Marília Atlético Clube (1986) e São José Esporte Clube (1986).
 
PRINCIPAIS CONQUISTAS
1975 - Campeão do Torneio Jose Hermírio de Moraes Moraes (XV de Piracicaba);
1976 - Vice-Campeão Paulista (XV de Piracicaba);
1977 - Campeão da Taça Guanabara e Campeonato Carioca (Vasco da Gama);
1978 - Campeão Brasileiro (Guarani);
1981 - Campeão Brasileiro da Taça de Prata (Guarani);
1982/1983 - Bicampeão Paranaense (Atlético Paranaense).

Fotos: "A História do XV" - Parte II - Delphim F. da Rocha Netto

Blog Histórias do XV


Nenhum comentário:

Postar um comentário